Início Educação Ensino Médio Incompleto Atinge 66 Mi de Brasileiros

Ensino Médio Incompleto Atinge 66 Mi de Brasileiros

28
Ensino Medio Incompleto Atinge 66 Mi de Brasileiros

Desafio Educacional no Brasil

No Brasil, uma significativa parcela da população adulta, contabilizando cerca de 66 milhões de pessoas acima dos 18 anos, ainda não concluiu o ensino médio. Este problema se agrava ao considerarmos que aproximadamente 30% dos estudantes que ingressam no ensino fundamental não finalizam essa etapa educacional. Esse cenário reflete a urgência de ampliar e fortalecer programas educacionais como a Educação de Jovens e Adultos (EJA), que visa equipar jovens e adultos com conhecimento e habilidades essenciais e, assim, mitigar a taxa de abandono escolar.

O Papel Transformador da EJA

O Serviço Social da Indústria (Sesi) emprega uma abordagem inovadora na educação de jovens e adultos que tem se mostrado eficaz. Através de vagas providenciadas gratuitamente, o Sesi alcançou um índice de conclusão 50% superior ao da EJA pública. Em uma recente reunião com líderes e legisladores, realizada na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI), foram discutidas a relevância e a necessidade de adaptabilidade nos métodos de ensino, alinhando-os às necessidades individuais dos estudantes.

Estratégias para Combater a Evasão Escolar

Leonardo Lapa, que ocupa a posição de gerente de Educação Básica do Sesi Nacional, explicou que para combater o abandono dos estudos, a instituição tem investido em material didático personalizado e um currículo ajustável a cada estudante. E com o objetivo de aumentar a acessibilidade, a EJA do Sesi é majoritariamente a distância, constituindo-se de 80% EaD e 20% presencial. Isso possibilita que alunos estudem conforme sua própria agenda e necessidades, uma flexibilidade vital para aqueles que trabalham, têm filhos ou residem em áreas isoladas.

Um Currículo Focado na Formação Profissional e Técnica

A nova EJA que o Sesi oferece foi estruturada com a colaboração de mais de 3.000 professores e conta com 962 módulos e cadernos de atividades. Os alunos têm a liberdade de escolher entre cursos técnicos e profissionalizantes e optar por um entre oito itinerários formativos relacionados a diferentes setores da economia. Os materiais existem em múltiplas versões, sustentando itinerários formativos que visam desenvolver habilidades e competências que se alinham ao mundo do trabalho e aos projetos de vida dos estudantes, como ressaltado por Lapa.

Parcerias Estratégicas para o Avanço da Educação

Além dessa metodologia inovadora, o Sesi estabeleceu parcerias importantes que promovem tanto a educação quanto a capacitação profissional no Brasil. Uma dessas parcerias é com o governo do Mato Grosso, em conjunto com a Fundação Getulio Vargas (FGV), e outra com o Ceará, focada em oferecer a nova EJA a internos de presídios estaduais. O impacto desses programas é notável, com uma taxa de conclusão variando entre 72% e 82% após a implementação nas diversas regiões do país.

Leonardo Lapa ainda aponta para a necessidade de elevar o número de inscrições na EJA a fim de gerar mais oportunidades. Apesar do número expressivo de brasileiros que precisam completar sua educação básica, as matrículas na EJA representam menos de 3 milhões, sublinhando o tamanho do desafio enfrentado.

Reduzindo o Tempo de Formação com Foco no Mercado de Trabalho

A metodologia adotada pelo Sesi na EJA baseia-se em competências e habilidades que são consideradas valiosas tanto para o indivíduo quanto para o mercado de trabalho. O objetivo é permitir que os estudantes finalizem seus estudos em até 13 meses, com uma preparação abrangente que os habilite para as demandas profissionais.

Reconhecimento e Apoio às Novas Propostas Educacionais

O novo modelo educativo proposto pelo Sesi foi elogiado por coordenadores da Frente Parlamentar Mista de Educação, que destacaram sua importância. Pedro Campos, deputado do PSB-PE, salientou a necessidade de olhar para o futuro mesmo quando se trata da EJA, pois não se pode permitir que as pessoas permaneçam presas a um passado que não prosperou. A busca por caminhos que integrem diferentes áreas, como a associação com o Sistema S e a indústria, é vista como um caminho promissor para avançar nessa frente educacional.

Voltar à Página Inicial

Categorias

Artigos relacionados

Supremo oferece novos cursos gratuitos de direito e cidadania

Supremo oferece novos cursos gratuitos de direito e cidadania.

Novo ciclo de cursos online gratuitos do STF O Supremo Tribunal Federal...

TCE Revela Desvio Milionario na Educacao Maranhense

Professores universitários preparam greve no Rio de Janeiro

Professores do Cefet-RJ aderem à greve nacional No Rio de Janeiro, os...

TCE Revela Desvio Milionario na Educacao Maranhense

Paralisação atinge 23 institutos federais em SP

Greve no Instituto Federal de São Paulo atinge 23 unidades Com o...

Escola Politecnica da UFRJ completa 150 anos e e eleita

Escola Politécnica da UFRJ completa 150 anos e é eleita patrimônio do Rio

A Escola Politécnica da UFRJ é declarada Patrimônio Histórico No mês em...